quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Programa Rua da Cultura

Revista Eletrônica #22

Rua da Cultura - 22 de novembro

Abalo Císmico, La Femina e Alegação Final
Dipreto
Mulungada
Revolução do reggae


Cine ABD na Rua

O Mistério da Japonesa Dir. Pedro merege e Beto Carminatti
Os Filmes que não fiz Dir. Gilberto Scarpa

domingo, 21 de novembro de 2010

Revista Eletrônica #21

Rua da Cultura - 15 de novembro

Banda Axell
DiConduta
Banda Naurêa
Semente a Semear

Cine ABD na Rua
Da Banca pra Fora Dir. Yonara Aniszewsky-TO
Parabéns Vitor Dir. Leonardo Sant' Ana - MT

quarta-feira, 17 de novembro de 2010


Neste sábado a Rua da Cultura vai ao ar pela segunda vez, com o programa "Rua da Cultura", diretamente dos studios da Aperipê Fm (104.9), das 14h às 16h. Apesar de estar ainda em sua 2ª edição, o Programa Rua da Cultura já vem com uma programação especial, voltada ao dia da Consciência Negra, 20 de novembro. Entrevistas com o cantor Jr. da banda Revolução do Reggae e o professor Andrey Roosewelt Lemos, contribuirão com a riqueza cultural e informação que o programa pretende levar ao público. A Radio Novela continua recheada de novidades, assim como todos os outros quadros do programa, a exemplo do "E Daí!", " A gente toca se quiser!", "Tá rolando o quê?", "Ponto a Ponto", "Quase google", "Isso que é mulher!". Portanto, não esqueçam! Todos os sábados na Aperipê Fm (104.9), tem programa "Rua da Cultura", das 14h às 16h.
Já na segunda-feira (22/11), no Mercado Municipal de Aracaju, a Rua da Cultura chega com toda força... é a "Segunda Consciente". O grupo de Rap Abalo Císmico, comandado por J. Rock, subirá primeiro ao palco, mandando seu recado, Junto ao La Femina, grupo de rap feminino que fará uma participação especial, e com certeza balançará as estruturas da RDC mais uma vez. Depois teremos os afoxés DiPreto, com Alan D' Xangô no comando e Molungada, sob a batuta do Tonico de Ogum. E ainda a banda Revolução do Reggae, e o Samba do Raffael Oliveira, que estará gravando seu cd ao vivo. Simultaneamente estará rolando a Passarela de Xadrez, War e Magic.

A RDC também estará enfatizando o dia do músico (22 de novembro), e falando um pouco da movimentação que o Fórum de Música Sergipe estará fazendo não só na segunda, como também no domingo, 21/11.

É isso! Rua da Cultura, Acesso e Visibilidade!

Construindo o "Dia da Consciência Negra"

O 20 de novembro trata da data do assassinato de Zumbi, em 1665, o mais importante líder dos quilombos de Palmares, que representou a maior e mais importante comunidade de escravos fugidos nas Américas, com uma população estimada de mais 30 mil.

Em várias sociedades escravistas nas Américas existiram fugas de escravos e formação de comunidades como os quilombos. Na Venezuela, foram chamados de cumbes, na Colômbia de palanques e de marrons nos EUA e Caribe. Palmares durou cerca de 140 anos: as primeiras evidências de Palmares são de 1585 e há informações de escravos fugidos na Serra da Barriga até 1740, ou seja bem depois do assassinato de Zumbi. Embora tenham existido tentativas de tratados de paz os acordos fracassaram e prevaleceu o furor destruidor do poder colonial contra Palmares.

Há 32 anos, o poeta gaúcho Oliveira Silveira sugeria ao seu grupo que o 20 de novembro fosse comemorado como o "Dia da Consciência Negra", pois era mais significativo para a comunidade negra brasileira do que o 13 de maio. "Treze de maio traição, liberdade sem asas e fome sem pão", assim definia Silveira o "Dia da Abolição da Escravatura" em um de seus poemas. Em 1971 o 20 de novembro foi celebrado pela primeira vez. A idéia se espalhou por outros movimentos sociais de luta contra a discriminação racial e, no final dos anos 1970, já aparecia como proposta nacional do Movimento Negro Unificado.

A diversidade de formas de celebração do 20 de novembro permite ter uma dimensão de como essa data tem propiciado congregar os mais diferentes grupos sociais. "Os adeptos das diferentes religiões manifestam-se segundo a leitura de sua cultura, para dali tirar elementos de rejeição à situação em que se encontra grande parte da população afro-descendente”.

Os acadêmicos e os militantes celebram através dos instrumentos clássicos de divulgação de idéias: simpósios, palestras, congressos e encontros; ou ainda a partir de feiras de artesanatos, livros, ou outras modalidades de expressão cultural.

Grande parte da população envolvida celebra com samba, churrasco e muita cerveja", conta o historiador Andrelino Campos, da Faculdade de Formação de Professores, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

"É importante que se conquiste o "Dia da Consciência Negra" como o dia nacional de todos os brasileiros e brasileiras que lutam por uma sociedade de fato democrática, igualitária, unindo toda a classe trabalhadora num projeto de nação que contemple a diversidade engendrada no nosso processo histórico".

Para o historiador Flávio Gomes, do Departamento de História da Universidade Federal do Rio de Janeiro, a escolha do 20 de novembro foi muito mais do que uma simples oposição ao 13 de maio: "os movimentos sociais escolheram essa data para mostrar o quanto o país está marcado por diferenças e discriminações raciais. Foi também uma luta pela visibilidade do problema. Isso não é pouca coisa, pois o tema do racismo sempre foi negado, dentro e fora do Brasil. Como se não existisse".


















Por Betto Vidall (Músico/Produtor da Rua da Cultura)

domingo, 14 de novembro de 2010

Projeto Repertório - Último mês

Desde do dia 15 de agosto, a Cia de Teatro Stultífera Navis vem promovendo um feito inédito, que é colocar TRÊS espetáculos em temporada por quatro meses. As apresentações são feitas todo final de semana na Sala Sergipana de Espetáculos, que fica na Casa Rua da Cultura.

Os 3 espetáculos, trazem temas polêmicos em seu contexto. Sem contar que os autores são grandes dramaturgos e pensadores de âmbito universal.

Às 19hs do Sábado, acontece o "Cabaret dos Insensatos" com textos e poemas do Bertold Brecht e do Jean Genet. Que conta a história de um menino que entra no Cabaret antes de está aberto ao público levando toda a platéia aos bastidores do recinto que é dividido em três ambientes, onde a platéia se divide nas cenas que acontecem ao mesmo tempo. Um espetáculo intinerante e com uma pitada de humor.


Ainda no Sábado, às 21hs. Um clássico da Tragédia Grega invade um cenário recheado de elementais. Estamos falando de "Antígona" de Sófocles.

Antígona quer enterrar seu irmão, Polinices. Mas Creonte, o mais novo rei de Tebas, já decretou que o dito traidor não poderá receber os ritos fúnebres, e quem o fizer será morto.

Indo de encontro às ordens do tio, Antígona enterra o irmão, e como era previsto é anunciada sua morte.

Conhecido por ter em seu enredo, cenas marcantes e muito fortes, a montagem se desenrola prendendo atênção do público com 18 atores e 2 músicos em cena.


Aos Domingos às 19hs, você pode conferir o "Entre 4 paredes" de Jean Paul Sartre. Um espetáculo completamente diferente dos outros, mas com a mesma qualidade.

Quatro atores divide um cenário de 4 metros quadrados. Onde representam um inferno incomum. Onde os únicos artifícios para infernizar são exatamente eles mesmos.

Esse espetáculo é o referencial para a famosa frase de Sartre. "O inferno são os outros".

Todos os espetáculos tem a direção de Lindemberg Monteiro. Esse projeto tem como objetivo, além de fomentar a idéia de colocar espetáculos em longas temporadas, também dá a oportunidade ao público teatral de ter sempre uma opção de cultura e entretenimento todos os finais de semana até o dia 28 de novembro.



A Casa Rua da Cultura localiza-se na Praça Camerino, n° 210 - Centro.
Essa é uma realização da Cia. de Teatro Stultífera Navis.

Informações:
(79)3042-3878
ruadacultura@gmail.com
Twitter!
Orkut!

Att.
Júlia Caianara

Revista Eletrônica #20

Rua da Cultura - 08 de novembro

Fora do Eixo - Virote Coletivo
Bruno das Gerais
A Banda de Joseph Tourton(PE)
Falsos Conejos(Argentina)
Mamutes

Cine ABD na Rua
Cães (BA) Dir. Adler paes e Moacyr Gramaho
Um Vestido para Lia (AL) Dir. Hermano Figueiredo e Regina Barbosa



A Casa Rua da Cultura localiza-se na Praça Camerino, n° 210 - Centro.
Essa é uma realização da Cia. de Teatro Stultífera Navis.

Informações:
(79)3042-3878
ruadacultura@gmail.com
Twitter!Orkut!


Att.
Júlia Caianara

sexta-feira, 12 de novembro de 2010


Rua da Cultura invade as ondas do rádio em novo
programa da Aperipê FM

Extraído de: Governo do Estado de Sergipe

Levar informação e cultura, contribuindo para a educação e para a identidade do povo sergipano, é uma das prioridades da Fundação Aperipê (Fundap) que promove e apoia projetos que contribuem para esse objetivo. A Rua da Cultura é um desses projetos no qual a Fundap acredita e apoia, prova disso é a parceria que se concretiza neste sábado, 13, a partir das 14h, com o mais novo programa da rádio Aperipê FM 104,9. Dando sequência às estreias em curso na emissora, os ouvintes serão presenteados com o Rua da Cultura que traz o talento do elenco da Cia de Teatro Stultífera Navis, comandada pelo ator Lindemberg Monteiro que será o principal apresentador da novidade.
O diretor da rádio Aperipê FM, Edézio Aragão, explica que o novo programa é um desdobramento da Rua da Cultura e mistura elementos do passado do rádio com componentes mais atuais, tudo muito bem elaborado com inteligência e bom humor. Estamos celebrando os 15 anos da rádio Aperipê FM e as estreias em nossa programação reforçam o nosso compromisso com a cultura sergipana que pode e deve ser expressada das mais diversas formas, afirma Aragão.
O maior destaque do programa é a radionovela Uma história, uma vida. Lindemberg conta que a ideia do quadro é resgatar um elemento que já foi muito comum nas rádios entre as décadas de 1930 a 1950. A radionovela, mesmo tendo diminuído muito com o passar dos anos, não perdeu sua força. Como somos atores, queremos sempre achar uma forma de expressar nossa arte e a radionovela surge como uma oportunidade para isso. É uma linguagem diferente de atuação, a única ferramenta que temos à nossa disposição é a voz, com isso também achamos uma maneira de exercitá-la individualmente, explica o ator.
Além da radionovela, o Rua da Cultura traz uma quantidade variada de quadros que têm o humor como marca registrada. O E daí?, por exemplo, é uma coluna social que faz uma crítica descontraída com as colunas de fofoca. No A gente Toca se Quiser, os apresentadores vão se divertir com os ouvintes, aceitando ou rejeitando sugestões de música para tocar durante o programa. Há também um espaço dedicado aos eventos artísticos e culturais de Sergipe, na agenda Tá Rolando o Que?e no Ponto a Ponto que vai falar sobre os pontos culturais sergipanos em atividade. No quadro Quase Google, serão apresentados sites, blogs e redes sociais de interesse cultural. Em Isso que é Mulher, o universo feminino passa a ser o centro das atenções com a experiência de mulheres que se destacam em suas atividades.
Todo sábado, a partir das 14h, o Rua da Cultura vai sacudir os ouvintes da FM 104,9 com as novidades da cena cultural, além de levar muita emoção e bom humor. O talento e a irreverência do teatro estarão acessíveis pelas ondas do rádio. A novidade também pode ser acompanhada pela internet através do link Ao Vivo no http://www.aperipe.se.gov.br.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Revista Eletrônica #19

Rua da Cultura - 1º de novembro

Bandas:
Simples e Bacana
Infecção Sonora
La Femina
Multirão Vibration
Sisal Roots

Esquete "As Festas" de Luis Fernando Veríssimo com o Projeto Acesso

Cine ABD na Rua:
DEPRÊ DE POBRÊ (AM)
Dir. Júnior Rodrigues

CÉU LIMPO (CE)
Dir. Marcley de Aquino e Duarte Dias




A Casa Rua da Cultura localiza-se na Praça Camerino, n° 210 - Centro.
Essa é uma realização da Cia. de Teatro Stultífera Navis.

Informações:
(79)3042-3878
ruadacultura@gmail.com
Twitter!
Orkut!